Histórico - São Miguel do Anta

No contexto da história mineira, a Zona da Mata teve importante papel em distintas épocas, desde a colônia até meados do século XX, primeiro com a exploração mineraria e depois com a atividade cafeeira. Antes da chegada das bandeiras luso-brasileiras na área, por volta da primeira metade do século XVIII, a região era habitada por ameríndios das tribos Puris, Coroados e Coropós.

As bandeiras que cruzavam a região tinham como principais objetivos o aprisionamento de indígenas para trabalhar nas fazendas de café da Capitania do Rio de Janeiro, além da exploração de riquezas minerais - ouro e pedras preciosas. Entretanto, também aproveitavam para medir o potencial de exploração das riquezas vegetais, especialmente plantas medicinais e madeiras de lei, abundantes na região.

É importante destacar que toda a região foi originalmente ocupada por populações indígenas, dos índios Puris, que foram sendo gradativamente dizimados pelos luso-brasileiros.

A busca constante pela construção da identidade vai ao encontro da compreensão da história e, nesta tentativa de compreender o passado, deparamos com a falta de documentos. Sendo assim, são pouco conhecidas as origens do povoado que precedeu a atual cidade de São Miguel do Anta.

Não guardou a tradição local o nome dos primeiros brancos a se estabelecerem na região que veio a formar o município; Quanto aos que deram origem à povoação que veio a ser a sede, sabe-se que, em 1810, pouco mais ou menos,dois possuidores de latifúndios doaram terreno ao patrimônio de uma ermida que eles próprios construiram com a ajuda de outros proprietários das imediações. Foram esses primeiros moradores Joaquim Pereira Bitarães e Domingos Gomes, e a padroeira local foi Nossa Senhora da Conceição.

 

Igreja Antiga de Nossa Senhora da Conceição

 

Em torno a essa pequenina igreja fixaram-se outros brancos em casas em estilo da época, isto é, pau-a-pique e cobertura de sapé ou telha vã. Os primeiros moradores dessas casas foram Pedro Nolasco e Ovídio Lana que, mais tarde, por serem devotos de São Miguel, resolveram formar o topônimo São Miguel do Anta, por pertencer o povoado ao Distrito do Anta, município de Mariana.

Tendo como orago São Miguel e subordinada a diocese de Mariana foi criada a Paróquia em 1866, pela Lei Provincial 1038.

 

 

Vista da Paróquia

A agricultura foi o principal fator a influir na decisão dos que primeiro se fixaram e a principal atividade econômica desde os primórdios até os nossos dias.

O distrito foi criado pela lei numero 818 de junho de 1857, subordinado ao município de Ponte Nova do qual foi desmembrado em setembro de 1871, para pertencer ao recém criado município de Viçosa. Em 07 de setembro de 1923,perdeu o distrito parte de seu território  recém criado distrito de Canaã,pela lei numero 843, daquela data.

 

Vista aérea parcial da cidade em 1957

O município de São Miguel do Anta foi criado pela lei número 1039 de 12-XII-1953, Com território composto pelo distrito de São Miguel do Anta, sede, e de Canaã.Pela mesma lei numero 1039, de 12-XII-1953, o novo município Jurisdiciona-se à comarca de Viçosa.

É importante ressaltar sobre a grandiosa luta do cidadão Ovídio Ferraz, Farmacêutico renomado na região, para que São Miguel passasse a município, que infelizmente faleceu sem ver realizado seu sonho, o que aconteceu posteriormente em 12 de dezembro de 1953.

 

Vista do Alto do Rosário

 

 

Vista da Praça Pe. Adalberto

 

 

Vista parcial da Praça da Matriz

 

 

Fontes: - Enciclopédia dos Municípios Brasileiros - Volume XXVII - página 261

IBGE - Rio de Janeiro 1959.

- Assembléia Legislativa de Minas Gerais.

- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE